O que é nefropatia diabética?


O que é nefropatia diabética?

Nefropatia diabética é uma das complicações da diabetes. O maior problema advindo desse caso é o desencadeamento de insuficiência renal.  Além disso, a enfermidade pode levar a casos de sérios problemas cardiovasculares.

Ela pode ocorrer tanto com aqueles que apresentam diabetes tipo 1 (dependentes de insulina), quanto com os pacientes que têm diabetes tipo 2. Ela surge quando o quadro diabético é grave.

Essa doença renal progressiva pode ocorrer com pessoas que apresentam diabetes por mais de 10 anos. Entenda mais sobre o que é nefropatia diabética e como ela se manifesta no organismo.

Diagnóstico de nefropatia diabética

A doença pode ser diagnosticada precocemente com um exame de urina chamado microalbuminúria. Em casos mais agudos, é preciso fazer um estudo dos níveis de ureia e creatinina na corrente sanguínea. Assim, é possível detectar a presença de proteína na urina.

Seu tratamento tem como objetivo o controle da glicemia, controle da pressão arterial e o bloqueio do sistema renina-angiotensina, por meio de remédios específicos. Dessa forma, é possível manter o quadro estável.

Essa complicação pode ser evitada ao tomar medidas para proteger os rins. Assim, é possível retardar ou eliminar as chances de danos renais.

Fases da nefropatia diabética

Um dado alarmante é que 35% a 45% dos diabéticos do tipo 1 desenvolvem essa doença. Já para os diabéticos do tipo 2, a incidência é menor, sendo de 6% a 20% dos pacientes afetados. Veja as fases que ela se apresenta:

1° fase (hiperfiltração)

Nesse momento da doença, as taxas de filtração glomerular estão de 25% a 50%. Essa é a fase mais longa e pode ser revertida. Para isso é preciso manter a pressão arterial regular e fazer o controle do índice de glicemia.

2° fase (microalbuminúria)

Nessa fase, há presença de microalbuminúria, que dá o nome ao estágio. A albuminúria fica entre 30 a 300 mg/dia. É comum que haja um comprometimento renal ainda leve.

3° fase (macroalguminúria)

Também chamada de proteinúria clínica, ela apresenta a presença de albuminúria mais elevada que 300 mg/dia. Quanto mais a doença desenvolve-se, maiores são os riscos de atingir os valores nefróticos. Nessa fase, as lesões nos rins já são irreversíveis.

Na terceira fase, é comum que a urina fique espumosa ou até surjam edemas. Com o avanço, aparece a insuficiência renal. Enquanto a complicação renal progride, o problema de hipertensão arterial também se agrava.

Sinais da nefropatia diabética

Na fase inicial de nefropatia diabética, pode não haver o aparecimento de sintomas. Porém, conforme a doença progride, o paciente apresenta os seguintes sintomas:

  • surgimento de proteína na urina (proteinúria);
  • aumento da pressão sanguínea;
  • fadiga;
  • inchaço nos olhos, tornozelos, pés ou mãos;
  • maior necessidade de urinar (poliúria);
  • aparecimento de urina escurecida e sangue na urina;
  • vômitos e náuseas;
  • dificuldade de concentração ou confusão;
  • falta de apetite;
  • coceira persistente.

Agora que você já sabe o que é nefropatia diabética, busque prevenir seu aparecimento. A prevenção da doença é feita com a manutenção da diabetes, controle da pressão arterial e equilíbrio do peso.

Gostou do artigo? Então confira quais sãos os alimentos proibidos para diabéticos.


Esta artigo foi útil?

Artigos Relacionados

Deixe Um Comentário?