Medicamentos para Diabetes


Os Medicamentos para Diabetes têm como objetivo a regularização da taxa glicêmica do sangue dos pacientes diabéticos. O tipo específico de medicação administrada depende do quadro e o Tipos de Diabetes que o paciente tem.

Os pacientes com qualquer tipo de Diabetes devem manter uma Dieta para Diabéticos saudável planejada por um nutricionista, com pouco açúcar e rica em fibras, e praticar atividades físicas adequadas.

No que se trata de medicação, os diabéticos Tipo 1 aplicam insulina diariamente como tratamento. Os diabéticos Tipo 2, por sua vez, utilizam comprimidos antidiabéticos, como metformina, gliclazida e glimepirida. Em casos mais graves, a aplicação de insulina também pode ser necessária.

O tratamento da Diabetes deve ser orientado por um endocrinologista, médico especializado pelo sistema endócrino, onde são produzidos os hormônios.

Remédios para Diabetes Tipo 1

Na Diabetes Tipo 1, as células beta, responsáveis pela produção de insulina, sofrem de destruição autoimune. Isto é, elas são destruídas pelo próprio sistema imunológico do paciente, como se fossem um invasor.

Consequentemente, o pâncreas do paciente não consegue produzir uma quantidade suficiente de insulina. Por isso, o objetivo da medicação é simular a produção de insulina natural do organismo, com aplicações realizadas nos horários e quantidades adequados para cada paciente.

Para imitar o funcionamento normal do pâncreas, é necessário o uso de dois tipos diferentes de insulina: rápida e lenta.

A insulina de ação rápida, chamada de Asparte, Glulisina, Lispro e Regular, costuma ser aplicada antes ou logo após às refeições. Ela visa evitar o acúmulo de glicose no sangue assim que o paciente se alimenta.

A insulina de ação lenta, que pode ser chamada de Detemir, Glargina ou NPH, por sua vez, só é aplicada uma ou duas vezes ao dia. A sua ação dura muito mais tempo, variando de 12h a até mesmo 30h. Ela permite que os níveis glicêmicos do paciente permaneçam estáveis o dia inteiro.

A insulina geralmente é aplicada em injeções e, para tornar a aplicação mais prática, existem injeções combinadas, que juntam tipos diferentes de insulina com tempos de ação diferentes.

Para quem não gosta de injeções, uma alternativa é a bomba de insulina. Trata-se de um aparelho pequeno que fica ligado ao corpo constantemente. Ele tem uma programação específica para liberar insulina de ação rápida ou lenta, de acordo com as necessidades do paciente.

Essas medicações podem ser encontradas facilmente nas farmácias e costumam estar disponíveis nas farmácias populares.

Remédios para Diabetes Tipo 2

A Diabetes Tipo 2, diferentemente da Diabetes Tipo 1, é uma doença adquirida, na qual a insulina produzida pelo paciente não funciona direito ou não é mais produzida em quantidade suficiente para regular a glicemia.

Os remédios mais utilizados por diabéticos Tipo 2 são hipoglicemiantes ou antidiabéticos de uso oral. Eles podem ser tomados sozinhos ou combinados e têm o objetivo de regular a glicemia do paciente.

Alguns exemplos de Remédios para  Diabetes Tipo 2 são:

Biguanidas

Metformina

Essa medicação melhora o uso da glicose no organismo, além de diminuir sua produção no fígado.

Os efeitos colaterais são enjoo e diarréia.

Secretores de insulina

Glibenclamida, Glimepirida, Glipizida, Gliclazida

Essa medicação aumena a produção de insulina no pâncreas.

Os efeitos colaterais são hipoglicemia e ganho de peso.

Inibidores de alfa-glicosidase

Acarbose, Miglitol

Essa medicação diminui a absorção de glicose adquirida através da ingestão de alimentos.

Os efeitos colaterais são gases com odor forte e diarréia.

Tiazolidinedionas

Rosigitazona, Pioglitazona

Essa medicação melhora o uso da glicose no organismo.

Os efeitos colaterais são inchaço, aumento de peso e há risco de insuficiência cardíaca.

Agonistas do GLP-1

Exenatida, Liraglutida

Essa medicação injetável aumenta a liberação de glicose, diminuindo a glicose no sangue, tornando o paciente mais saciado e também facilitando a perda de peso.

Os efeitos colaterais são náuseas e apetite reduzido.

Inibidor da Dipeptil Peptidase

Saxagliptina, Sitagliptina, Vidagliptina

Essa medicação aumenta a produção de insulina e diminui o nível de glicose após as refeições.

O efeito colateral é náuseas.

Inibidor da SGLT2

Dapagliflozina, Empagliflozina, Canagliflozina

Essa medicação estimula a eliminação de glicose pela urina, facilitando o emagrecimento.

O efeito colater é o risco aumentado de infecção urinária, já comum entre pacientes com Diabetes.

Alguns desses medicamentos ainda não estão disponíveis na rede pública de saúde e farmácias populares, mas a maioria pode ser encontrada gratuitamente.

Gostou deste artigo? Leia também:


Esta artigo foi útil?

Artigos Relacionados

Deixe Um Comentário?