Diabetes Emocional


A Diabetes Emocional trata-se da ideia popular de que existe um tipo de Diabetes que se desenvolve devido a problemas emocionais. A verdade é que, embora o equilíbrio emocional esteja totalmente relacionado à saúde do corpo em geral, não há um tipo específico da doença que possa ocorrer somente por esse motivo.

O que é Diabetes?

A Diabetes é uma doença crônica que afeta a produção ou o funcionamento da insulina, hormônio responsável pelo transporte da glicose, nossa principal fonte de energia, até as células.

Sem uma produção ou funcionamento eficiente da insulina, a glicose não é transformada em energia e se acumula na corrente sanguínea, acarretando em diversas complicações diferentes.

Existem alguns diferentes tipos de Diabetes: 1, 2 e Gestacional. O Tipo 1 é hereditário, o Tipo 2 pode ser adquirido ao longo da vida devido a um estilo de vida pouco saudável e o Gestacional ocorre somente durante a gravidez.

É possível que uma pessoa já predisposta a desenvolver Diabetes finalmente apresente os sintomas da doença após algum episódio de crise emocional. Por exemplo, pacientes com síndrome do pânico.

No entanto, os fatores emocionais são apenas o gatilho nesse caso. O que, de fato, classifica a Diabetes é a deficiência da insulina e o acúmulo de açúcar no sangue.

Qual a relação entre a Diabetes e o Emocional?

O aumento da taxa glicêmica pode ocorrer por dois motivos: produção insuficiente/inexistente de insulina no pâncreas ou incapacidade do organismo de absorver a insulina já produzida.

Existem alguns hormônios que podem inibir ou atrapalhar o funcionamento da insulina, o que inclusive é um dos motivos por trás da Diabetes Gestacional. Quando passamos por emoções fortes, nosso corpo libera alguns desses hormônios, como a adrenalina e o cortisol.

Em pessoas cronicamente estressadas, a Diabetes, assim como a obesidade, pode se desenvolver como uma das consequências negativas indiretas do estresse no organismo. Isto é, embora o estresse não seja o motivo da doença, os processos metabólicos causados por ele podem contribuir no desenvolvimento ou piora da doença.

Os problemas emocionais que podem afetar a saúde podem ser divididos em dois tipos. São os de curto prazo, que ocorrem pontualmente, em geral, devido a um fator externo, e os de longo prazo, que afetam a saúde mental e física do paciente aos poucos e constantemente.

Não há provas de que os níveis de insulina dos pacientes do primeiro grupo realmente só caíram após o início dos problemas emocionais. A teoria é de que a insulina já era insuficiente anteriormente e o episódio de crise apenas aumentou os sintomas.

Os pacientes do segundo grupo, por sua vez, sofrem de estresse contínuo a longo prazo. Como explicado anteriormente, o impacto desse estresse no organismo pode desencadear a Diabetes em pessoas que já fazem parte do grupo de risco.

Confira alguns sintomas de estresse crônico:

  • Desânimo
  • Depressão
  • Ansiedade
  • Aumento de peso
  • Doença cardiovascular
  • Insônia ou privação de sono

A Diabetes e a Depressão

É importante ressaltar que a própria Diabetes aumenta o risco do paciente desenvolver depressão. Algumas teorias para explicar a conexão entre essas duas doenças são:

  • Mudança de estilo de vida no tratamento da Diabetes
  • Isolamento ou sensação de solidão causados pela Diabetes
  • Problemas na tireóide (responsável por produzir hormônios)
  • Dores recorrentes causadas pela neuropatia diabética

Prevenção e Tratamento da Diabetes Emocional

Embora não exista uma doença específica chamada “Diabetes Emocional”, está nítido que os fatores emocionais podem contribuir no desenvolvimento da doença. Por isso, é importante cuidar tanto da saúde física quanto da emocional.

O estilo de vida controlado que é recomendado aos pacientes de Diabetes pode causar, às vezes, um sentimento de inadequação, pois inclui cortes que fazem parte da vida normal de muitas pessoas.

Contudo, esse mesmo tratamento, se levado a sério, pode trazer muitos benefícios para a saúde mental do paciente. Quando o seu corpo está saudável, sensações como o cansaço e falta de disposição, muito relacionados à depressão, acontecem com bem menos frequência.

Além disso, é aconselhável procurar diminuir a carga de estresse, procurar terapia e outras atividades e hobbies que ajudem o paciente a gerenciar seus problemas emocionais e encontrar equilíbrio.

Gostou desse artigo? Leia mais:


Esta artigo foi útil?