Como a família pode apoiar o diabético?


Como a família pode apoiar o diabético?

O suporte familiar é muito importante para a pessoa com diabetes. Os pais, irmãos, filhos e companheiros podem facilitar esse processo para o paciente. Saiba mais sobre como a família pode apoiar o diabético.

Para quem tem diabetes, o apoio social, terapêutico e da família é muito importante. Entenda como ajudar e a melhor maneira de agir se algum dos seus entes queridos possui a doença.

A vida com diabetes e a família

Quando um paciente é diagnosticado com diabetes, ele necessita de todo o amparo médico. Nesses momentos, a ação de um tratamento integrativo é muito importante. O tratamento geralmente é feitos com:

  • remédios hipoglicemiantes (medicamentos orais, monitorização glicêmica, insulina etc.);

  • mudança de hábitos (estilo de vida mais saudável, adequação da dieta alimentar, prática regular de exercício físico etc.);

Dessa forma, a vida com diabetes é completamente diferente para a família e para o paciente. Isso ocorre porque a rotina diária sofre muitas alterações. Por isso, além dos tratamentos tradicionais é fundamental que a pessoa diabética sinta que pode contar com seus familiares.

Nesses momentos, o acompanhamento de um psicólogo pode ser um grande auxílio. O profissional ajudará todos os envolvidos a entender melhor a doença e a lidar com ela. Não basta apenas uma mudança física, é preciso cuidar do emocional também.

Crianças com diabetes

Quando há casos de crianças diabéticas, a família geralmente assume toda a responsabilidade pelos cuidados com a doença. Com o tempo, o jovem já consegue ter mais autonomia sobre o controle da diabetes.

Nesse período, os familiares precisam dar apoio, mas sempre incentivando para que a criança possa desenvolver sua independência de acordo com a idade. Um fato que pode ocorrer é que os pais sintam uma grande necessidade de monitorar os filhos a todo instante.

Essa preocupação é completamente normal, porque é preciso evitar quadros de hiperglicemia, além de controlar o aparecimento de hipoglicemia. Porém, a família deve oferecer sua ajuda, mas evitando a superproteção com a criança.

É preciso um equilíbrio entre o apoio e os excessos de cuidados. Isso é importante para que não haja desentendimentos e conflitos entre o paciente e a família. Um cotidiano conturbado pode afetar de maneira negativa para que o jovem possa adaptar-se ao tratamento da diabetes.

A importância de incentivar o autocuidado

Sendo assim, é muito positivo quando os familiares incentivam o autocuidado do paciente, seja na infância ou na fase adulta. Sentir que seus esforços para a manutenção da doença estão sendo reconhecidos aumentará a autoestima da pessoa com diabetes.

Dessa forma, em caso de pacientes mais jovens, sempre busque envolvê-lo nas etapas de tratamento. Já para os mais velhos, incentive para que ele se cuide e mostre que está a disposição para ouvir, acolher e dar sustento em todas as etapas.

A família pode apoiar o diabético oferecendo seu afeto e guiamento durante a manutenção da enfermidade. Por isso, é essencial saber mais sobre o que é diabetes, descobrir fatos sobre a diabetes que você provavelmente não sabe, entender o que é insulina e os medicamentos mais utilizados.

Assim, viver com diabetes será muito mais fácil para seu ente querido. Seja um ponto de apoio e mostre a ele que você está disposto a ajudar.

Gostou do artigo? Então confira 10 melhores alimentos para controlar diabetes.


Esta artigo foi útil?

Artigos Relacionados

Deixe Um Comentário?