Retinopatia Diabética

A Retinopatia Diabética é um problema na visão decorrente de um quadro de Diabetes não controlado e que pode levar até mesmo à cegueira.

Trata-se de uma complicação onde os vasos sanguíneos da retina, parte do corpo responsável pelo processamento de imagens, são danificados, causando edemas.

Essa condição pode afetar qualquer Diabético que não trata a doença adequadamente, independentemente da idade. Contudo, quanto mais tempo um paciente tiver Diabetes, maior será a chance de desenvolver problemas oftalmológicos.

Existem dois tipos diferentes de Retinopatia Diabética: exsudativa e proliferativa.

A Retinopatia Diabética Exsudativa acontece quando a mácula, região importante para a leitura, é afetada por gorduras. Esse tipo não é proliferativo.

A Retinopatia Diabetica Proliferativa, por sua vez, ocorre quando há o surgimento de novos vasos na retina, chamados neovasos, assim como a progressão dos vasos já existentes. Os neovasos são frágeis e podem causar sangramentos, que prejudicam a retina e podem até mesmo causar seu descolamento.

Prevenção da Retinopatia Diabética

A identificação da Retinopatia Diabética não é sempre tão fácil, pois a condição não possui muitos sintomas acentuados. Os maiores indicadores da Retinopatia são a visão embaçada e presença de manchas de sangue na visão.

Para prevenir a Retinopatia Diabética, o melhor caminho é simplesmente tratar a Diabetes. O tratamento consiste em uma Dieta para Diabéticos, prática de exercícios físicos e administração de medicamentos para Diabetes adequados sempre que necessário.

Se o foco for na prevenção da Retinopatia, um cuidado adicional indicado é o controle da pressão arterial e do colesterol.

Tratamento da Retinopatia Diabética

Em geral, a Retinopatia Diabética não necessita de tratamento no primeiro estágio. A condição começa a ser vista como um problema mais grave quando ocorre edema macular.

Uma das opções de tratamento para a Retinopatia Diabética é a fotocoagulação por raio laser. É um processo em que algumas regiões da retina são cauterizados, a fim de impedir hemorragias. Para realizar esse tratamento, é necessário o acompanhamento de um oftalmologista.

Outro procedimento é a vitrectmia, cirurgia realizada em caso de descolamento da retina. Após a vitrectmia, a retina e o humor vítreo, substância localizada entre a retina e o cristalino, passam por uma melhora.

Além dessas opções, há também os anti-angiogênicos, medicamentos que bloqueiam os causadores dos edemas, auxiliando no tratamento da Retinopatia.

É importante ressaltar que as gestantes Diabéticas devem tomar muito cuidado com a Retinopatia, pois essa condição tende a progredir com grande velocidade durante a gravidez.

Por isso, as gestantes com realizando o Tratamento de Diabetes Gestacional ou de outros Tipos de Diabetes devem realizar exames de fundo de olho a cada três meses durante a gestação.

Embora a Retinopatia Diabética possa progredir de forma súbita e causar perda total de visão às vezes, quase sempre é possível manter a visão do paciente.

Para isso, é necessário que o paciente com Diabetes tenha acompanhamento oftalmológico regular. Inclusive, recomenda-se realizar trocas de óculos somente quando a glicemia estiver estável.

A Retinopatia Diabética Tem Cura?

A cura para a Retinopatia Diabética ainda não foi descoberta. Contudo, é possível prevenir e combater essa condição de diversas formas.

Em primeiro lugar, o paciente com Diabetes deve tratar sua doença, controlando a glicemia. Uma taxa de glicose no sangue estável diminui a chance de desenvolver a Retinopatia e, caso o paciente já a tenha, também pode impedir sua progressão.

Mantenha um estilo de vida saudável e a probabilidade de desenvolver complicações decorrentes da Diabetes será muito menor.

Gostou deste artigo? Leia mais:

Esta artigo foi útil?

Artigos Relacionados

Deixe Um Comentário?